Skip navigation

Kel

“Sabe aquela pessoinha simples e feliz que parece com vida? Pois é! Com ela tudo é vida de verdade e por mais que o mundo diga não, o sorriso dela contrariando diz que sim porque ela tem sempre um luar disponível nos olhos, brindando versos com emoção e alegria contagiante. Até a chuva parece que traz poesia em cada gota. Borboletas? São coisas de Deus colorindo os momentos cinzas de cada dia.
“Ela é assim e só isso tudo”…

Nas letras que escreve para compor nota-se que emana dela o brilho de um sol que nunca dorme.

Curioso acabei perguntando coisas que ela respondeu olhando a janela do tempo…”

1- Quando começou a vida? Kelce MoraesAos 5 anos, quando descobri a palavra, os sons. Sou apaixonada pelas palavras, antes mesmo de cantá-las, gosto de me demorar com elas, saboreando as sílabas. Fui alfabetizada em casa mesmo, por meu Pai. Lembro-me que certa vez fiquei encantada com a sonoridade da palavra piedade e busquei no dicionário o significado dela e quando descobri, gostei mais ainda. Compreendi então que cada palavra tem um som e esse som, várias repetições e vertentes. Descobri o caminho-canção.
2- Quantos “S” tem o sucesso?

Um.
O S de solidão!

kelce

Se eu trabalho, canto, escrevo e produzo, o sucesso vem, é consequência.Mas criar, antes de tudo, é uma angústia… é preciso entender e traduzir a dor.

3- Seu poema mais perfeito?

Minha filha.
Que amo tanto, que desenho e sonho. Meu maior poema ainda em construção. A beleza é frágil!

kelce_angra4- A maior inspiração que você já teve?

Não sei se tenho mesmo grandes inspirações…

Acho que tenho mesmo alguma teimosia e vontade de aprender. As canções se revelam, a poesia vem. São passarinhos de manhã, borboletas nas minhas mãos… presentes de Deus.


5 – A melhor hora pra dormir?

Tenho dificuldade para dormir, durmo pouco. Talvez por pena de me despedir do dia, da noite anterior. Algo em mim pulsa mais entre duas e quatro da manhã (aproveito para cantar, escrever, ler, arrumar gavetas). Depois, tomo banho à luz de velas.

Pela janela vejo o dia chegando com seus dedos de âmbar… e só então, durmo.


6- Seu travesseiro tem bons ouvidos?

Não sei…
Converso mais com a Minina (minha cachorrinha) rs.


7- O que você canta pra você mesma?

Toadas, Fados… canções de ninar.

8- Seus ídolos? Música: Chico Buarque de Hollanda
Literatura: Vinicius de Moraes (por ter sido dele o primeiro livro de poesias que li na infância), e que me conquistou pra sempre.
Teatro: Amo e leio Nelson Rodrigues. Adoro Paulo Autran, Fernanda Montenegro, Diogo Vilela (entre outros).


9- Sua concepção de Arte?

encantado

Arte pra mim, é como pegar um pedaço de carvão, trabalhar sobre ele em alta temperatura, com grande sofrimento… transformá-lo em diamante!
Lapidar essa pedra luminosa, explorar seus múltiplos significados, se deixar banhar por sua infinita beleza…
E depois, pegar esse diamante e jogá-lo fora, como se ele ainda fosse um pedaço de carvão.


10- Conta um segredo? Ou dois?

Não tenho segredos apenas mistérios. Sei guardar segredos alheios.
Mas confesso: morro de medo de lagartixas.


11- Sua cor?

Azul, pra cantar. Vermelho, pra seduzir.


Créditos:

Música de fundo: “Avesso”, de Kelce Moraes e Roberto Lempé.
Vídeos: Ricardo Ferreira Bauler
Fotos: acervo pessoal da Kelce e encarte do CD Encantado

Anúncios